,

(SORTEIO) Como passar em provas e concursos - William Douglas

segunda-feira, 21 de junho de 2010 Deixe um comentário

Muita gente nos escreve pedindo fórmulas para passar em concursos. Infelizmente, elas não existem. Aliás, se existissem, o "descobridor" estaria milionário.

Entretanto, há livros que possuem técnicas e esquemas que transformam o modo como o estudante conduz seu aprendizado. Neles, as dicas de quem já passou em concursos traduzem a experiência e apontam para o sucesso de quem as ler.

Certamente, o livro "Como passar em provas e concursos" é o melhor deles.  Em sua 25ª edição, o Juiz Federal e William Douglas relata com bastante clareza os métodos que o conduziram à aprovação. O livro tem uma linguagem bastante acessível  e contém dicas preciosas que ajudam os concurseiros a se organizarem melhor.

 Obs.: nesta 25ª edição, o DVD que acompanha o livro está totalmente reformulado, com informações inéditas que ajudarão os concurseiros a vencer. O autor mantém a excelência e a qualidade, revista e com um novo layout

  • Editora: Impetus
  • Autor: WILLIAM DOUGLAS
  • Acompanhamento: DVD(s)
Para concorrer ao livro Como passar em provas e concursos, você deve responder às questões de concursos que postaremos aqui no blog neste mês de junho, juntamente com o seu nome e início do seu e-mail (exemplo: andrecosta@h) . No dia 30 de junho postaremos o nome do ganhador!

13 comentários »

  • k disse:  

    Como deve fazer para responder às questões e ser entrar no sorteio do livro?

  • cristianolousada disse:  

    Eu quero conseguir esse livro que vai me ajudar muito para estudar e vou conseguir em nome de Jesus!

  • André Lins disse:  

    Para concorrer ao livro Como passar em provas e concursos, você deve responder às questões de concursos que postaremos aqui no blog neste mês de junho, juntamente com o seu nome e início do seu e-mail (exemplo: andrecosta@h) . No dia 30 de junho postaremos o nome do ganhador!

  • Anônimo disse:  

    Eu vou ganhar este livro!

  • Anônimo disse:  

    esta errado
    joao campos junior
    joaocamposjunior@yahoo.com.br

  • Anônimo disse:  

    POSSO ATÉ NÃO GANHA, MAS DAREI MUITO TRABALHO.

  • Anônimo disse:  

    Ola pessoal p/ responder a questão, devo postar aqui como comentário? como é o procedimento?
    Aguardo resposta.
    Otimo Dia!!!

  • Anônimo disse:  

    Professor respondi as questões, mas como saberei se o senhor as recebeu?
    Tb não sei se postei correto pq na opção "comentar como: escolhi anônimo" podia ser esta opção mesmo?
    E antes de responder às questões coloquei meu nome e e-mail: Maria Oliveira (valmagela@yahoo.com.br)

  • Anônimo disse:  

    Errado. Pois a CF/88 é classificada como "Rígida", pois somente um processo legislativo especial e complexo poderá alterar o seu texto. E a parte da CF/88 denominada cláusulas pétreas, são as normas que não podem ser abolidas por emendas constitucionais, sendo classificada como "super-rígida".

    Rodrigo (rfranko2003@y)

  • concurseiraadvogada disse:  

    Oi anônimo, é isso aí, veja que a dúvida de Maria Oliveira era a mesma.
    Eu sou a propria, e minhas respostas já estão incluídas nos "últimos comentários" - a sua direita na tela.

    Carpe diem!!!

  • Anônimo disse:  

    Eu quero gostaria de ganhar esse livro.

    clotildesducarmo@oi.com.br

  • Leôncio Duarte disse:  

    Errado...


    Consoante a doutrina dominante, nossa Constituição de 1988, é classificada como rígida, tendo como fundamento essas características:

    1) a existência de quorum de 3/5 (três quintos) para a alteração do texto através de emenda à Constituição, em dois turnos de votação em cada casa legislativa;

    2) a proposta de emenda só poderá partir de 1/3 (um terço), dos membros da Câmara de Deputados ou Senado, do Presidente da República ou de mais da metade das Assembléias Legislativas, que encaminharão a proposta aprovada por maioria relativa de seus membros;

    3) a existência de limites materiais, estabelecidos pelo artigo 60, § 4º, inc. I a IV, onde se proíbe emendas tendentes a abolir a forma federativa de Estado; o voto direto, secreto, universal e periódico; a separação dos Poderes; os direitos e garantias fundamentais;

    4) a existência de limites circunstanciais, consubstanciados na proibição do funcionamento do poder constituinte derivado (o poder de reforma), durante a vigência do Estado de Sítio, Estado de Defesa e Intervenção Federal.

    Fonte :
    http://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/2265/Analise-da-Constituicao-de-1988-Rigida-ou-Semi-rigida

  • Amanda Barbosa disse:  

    Eu quero um livro desse !!
    Meuuu sonhoo..

  • Deixe seu comentário!