sábado, 4 de fevereiro de 2012 Deixe um comentário

Você concorda?

A mulher que recebe pensão do ex-marido pode namorar e ter outros relacionamentos. Nesse caso, a concessão dos alimentos somente pode ser cancelada se ficar provado que a mulher assumiu uma sociedade conjugal. Foi isso o que decidiu TJSC. Vejam:

“A mulher, pelo simples fato de receber pensão do ex-marido, não se obriga à abstenção sexual. Tampouco está obrigada a enclausurar seus sentimentos afetivos. O que importa é que mantenha ela uma vida pública regrada, pois o fato de namorar outro homem não caracteriza, por si só, a sociedade conjugal exigida para exoneração do encargo assumido pelo ex-cônjuge”, concluiu o desembargador.

Fonte:http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI149139,21048-Sem+abstencao+namoro+da+ex-mulher+nao+exime+ex-marido+da+pensao

4 comentários »

  • Anônimo disse:  

    Não concordo, pois o ônus da ruptura da relação se pende apenas para o homem. A mulher, por outro lado, vive uma vida de solteira sem preocupações e com uma pensão de barbada.

    Vejam: a relação acabou e então cada um deveria seguir seu caminho. A fidelidade e a dependência econômica, como disse o relator, são características da relação marital a qual acabou, portanto nessa lógica a mulher aceita abrir mão da dependência do homem independente da sua situação.

    Esse tipo de decisão afeta homens sérios e responsáveis e beneficia os outros, que não trabalham. Inversão de lógica ao meu ponto.

    Eu seria mais compreensível nos tempos de antigamente onde a mulher casada não podia trabalhar, mas nos tempos atuais ambos podem e devem trabalhar.

    O feminismo não defende igualdade de direitos? Nada mais justo! Mas espero que se acrescente aí também igualdade de deveres e a Justiça deveria assegurar isso.

    O fato de haver um namorado não muda nada também. Da mesma forma que sou contra pensão para ex-esposa também sou contra a idéia de que um novo relacionamento implica em um novo provedor: chega! A mulher tem os mesmos direitos no mercado do que um homem....se ela tem maturidade para separar-se, que tenha maturidade para sustentar-se (a menos que estejamos falando, novamente friso, de mulheres e casamentos de antigamente)

  • Marco Aurelio disse:  

    Concordo com a decisão inicial, pois estamos falando de aspectos legais, e não sentimentos pessoais. Já que o ex-marido aceitou aquela condição, o mesmo não possui direito em reaver sua condição anterior, não seria justo privar sua ex-companheira em seus novos relacionamentos.

  • maria angelica da silva disse:  

    E o homem , pode??? Não seria melhor falarmos nesse aspecto também ja que, a mulher paga pensão para homens que tiveram seu padrão sócio-econômico diminuído. Ficaria ele sem transar?? Me poupem a beleza.

  • josicleide disse:  

    Absolutamente que concordo SIM.

    A mulher hoje em dia quer sim ter seu espaço, a mulher tem que conciliar as duas coisas independência e ser MULHER, a mulher cansada por ter passado o dia inteiro fora trabalhando depois chega em casa ter que cuidar dos afazeres domésticos cuidar de filhos e ainda dar atenção e carinho ao homem que assim como você chegou do trabalho e diferentemente esta no sofá aos berros lhe pedindo que lhe sirva a janta rápido que ele esta com fome.

    Dando uma colocação bem genérica e específica o homem sai com os amigos trai sua mulher na qual podemos defini-la como antes ela sonhava, hoje nem dorme mais.

    Ainda depois de uma separação ele quer reivindicar pela idenização proposta para a mulher. Até que preferiamos de invés de sermos indenizadas eles virassem "MULHER"

  • Deixe seu comentário!